Sudão do Sul, o lugar mais perigoso do Planeta!

Existe um acampamento de refugiados, onde vivem mais de 66.000 pessoas e cerca de 70% dessa população pobre, fugitiva e fragilizada, é constituída por crianças! Yida  é “A Cidade das Crianças”. Um verdadeiro inferno na terra!

Sudão do SulO acampamento para refugiados Yida está localizado no Sul do Sudão, à cerca de 32 Km da fronteira com o Sudão.  Seus mais de 66.000 ocupantes são vítimas de uma infinidade de pragas, pestes e ataques militares. Com a crescente chegada de novos refugiados, o lugar parece uma verdadeira bomba biológica! Dados estatísticos comprovam que de Abril até Julho deste ano, a população de Yida simplesmente dobrou!

Sudão do SulAs péssimas condições de higiene e manutenção, são sub-humanas.  Mesmo assim, tomado de doenças contagiosas, Yida não pára de receber sudaneses que buscam por abrigo, para escapar do conflito que levou à secção, o país.

A revolta armada contra o governo do Norte, tem levado milhares de pessoas a cruzar a fronteira todos os dias (a partir das montanhas de Nuba), e ainda a perseguição à população cristã, separatismo racial e massacres. Atentados a bombas e ataques incendiários que acontecem em consequência da manipulação das informações com objetivo de incendiar a comunidade rica que é muçulmana do Sudão do Norte, contra a minoria que é pobre do Sudão do Sul.

Sudão do SulPor “coincidência” o governo do Sudão do Norte controla a pasta dos Direitos Humanos das Nações Unidas. Mas o que este cargo poderia beneficiar o país, uma vez que o governo que assumiu o cargo é islâmico que lidera o lado de etnia árabe no país, enquanto que a população mais fragilizada neste momento, é a cristã, de etnia africana?

Pra piorar a situação que já é bárbara, os estoques de alimentos são baixíssimos e nem mesmo com a ajuda das Nações Unidas, o acampamento que é assistido pela Agência de Refugiados UNHCR/ACNUR, não está dando conta… Um dos grandes problemas relatados nesta questão, é a falta de higiene, na estocagem e manuseio dos alimentos. Inúmeros casos de diarreia e vômito são relatados pela Agência.

Sudão do Sul

Os Médicos Sem Fronteiras relatam que muitas crianças morrem em silêncio. Sem que percebam. Morrem de doenças, mas também de subnutrição e contaminação pela água. As muitas doenças estão dominando o lugar e levando milhares de vidas à completa degradação.  Há depoimentos do MSF (Médicos Sem Fronteiras) sobre crianças que falecem após semanas com diarreia!

A Agência UNHCR está tentando construir latrinas e criar outros meios de proteger a água da contaminação, ainda tentar controlar a crise sanitária, que já é aguda.

Sudão do Sul

A agência de Notícias Aljazeera disse que o acesso para o acampamento é uma estrada esburacada e barrenta. A Agência de Notícias “VOA” acrescentou ainda que com as chuvas a estrada fica inacessível e seus 32 Km de extensão ficam tão tomados de lama, que os caminhões de suprimentos ficam atolados e não chegam ao acampamento.

Sudão do Sul

A Agência UNHCR por sua vez, pede ajuda internacional para controlar a epidemia da mais mortal das Hepatites, a de classe “E” e ainda a Malária. Mas à cada novo dia mais refugiados continuam chegando. Aljazeera revelou que os refugiados caminham de 3 a 12 dias para chegar no acampamento, completamente destituídos de saúde, forças e recursos próprios. A maioria fica sem se alimentar durante todo a jornada.

Sudão do Sul

Sudão do Sul

 

Sudão do Sul

 

Sudão do Sul

 

Sudão do Sul

Não é a toa que o acampamento para refugiados Yida é considerado “O Lugar Mais Perigoso do Mundo!“.

Comentários ofensivos, abusivos ou com spam, fará com que você seja banido de comentar!