Por onde anda Gil Gomes “aqui, agora”

gilgomes

Ele foi um fenômeno do rádio brasileiro e cobriu incontáveis casos policiais em 42 anos de profissão. Gil Gomes não só não se aposentou, como ainda trabalha. E 16 horas por dia.

Em recente reportagem à Revista Isto É Gente, ele contou um pouco da sua rotina. Continua fumando (agora quatro maços de cigarros por dia), nunca tira férias e lançará um livro sobre os crimes mais famosos no País.

O criador do bordão “Aqui, agora”revolucionou a linguagem do rádio e policial do País. Depois de passar fome no início da carreira, conquistou o posto de líder de audiência por mais de uma década nos anos 80. Aos 60 anos, Cândido Gil Gomes Filho, mantém um expressivo público, sempre ávido por histórias de crimes violentos. Chegou a ganhar o mais alto salário da Rádio Record e desafiou as outras emissoras de TV com o Programa Aqui Agora, no SBT, de 1991 a 1997.

gilgomes2

 

Todo esse grande sucesso ficou para trás. Para o presente, restou o talento e a vontade de continuar no jornalismo policial. Mas a estrutura de trabalho caiu. Atualmente atua na Rádio Tupi AM, em São Paulo, com apenas um produtor. Ganha cerca de 8 mil por mês e sai de casa às 4h30 da manhã para estar entrar no ar às 5h30.

Respeitado por policiais e até mesmo por bandidos, Gil Gomes considera-se um vingador dos que não têm voz. “Sou o Dom Quixote da periferia”, define.

Casado pela segunda vez e pai de cinco filhos, o radialista viveu um drama em fevereiro deste ano: seu filho Guilherme, de 30 anos, morreu vítima de hepatite C. Abatido, 20 quilos mais magro, ele garante que nunca foi a um médico e fuma quatro maços de cigarros por dia. “Só gosto de comida gordurosa e nunca tiro férias”. Apesar de conviver todos os dias com a violência, ele acredita que dá para ser feliz assim. O mundo do crime até lhe deu boas amizades. “Já ajudei a dar estudo para filhos de bandidos que hoje são amigos meus”, contou à revista.

Comentários ofensivos, abusivos ou com spam, fará com que você seja banido de comentar!